Skip navigation

Relação de Casal segundo Hellinger®

Como o amor pode dar certo

A amor pelo companheiro está vinculado a muitas expectativas e toca os alturas e profundezas da nossa alma. Homem e mulher vivenciam a felicidade e a realização quanto mais conseguirem dizer SIM ao companheiro – cada dia de novo e de forma mais abrangente. Porém conseguir isto não está apenas em nossas mãos. Também nos é dado de presente, apenas podemos nos abrir para que tenha sucesso cada vez novamente.

Uma vez que ambos os companheiros estão vinculados a algo maior, principalmente em relação á família de origem, o seu amor se depara com barreiras. Assim um companheiro é muitas vezes arrastado para dentro dos destinos da sua família de origem. Apesar da “boa vontade” ele é levado para longe internamente e ás vezes é conduzido sem parar e sem culpa em direção á separação como consequência do seu emaranhamento. Porém, o amor do casal também se depara com barreias quando vínculos profundos, como, por exemplo, com os próprias pais ou companheiros anteriores não têm um lugar. Independente o que ficou em aberto, é algo que é transferido ao companheiro e aos filhos sem que pudesse ser resolvido ali. Assim se cultiva uma tragédia.

"Amor a primeira vista” é muitas vezes cego e se desgasta com desejos e padrões repetitivos."

O amo continua desafiador, nada lhe é dado de presente, mas muito é sacrificado em nome dele. Em contrapartida, o “amor a segunda vista” enxerga as próprias limitações e as do companheiro. Ele abre mão da atribuição de culpa e busca caminhos de se libertar de emaranhamentos – sempre com amor e com o SIM para outros, exatamente como ele ou ela é. Este amor maior, este SIM maior é sem exigência, e assim uma pessoa pode presentear a outro com aquilo que ela tem. Este amor é humilde, mas tem um longo fôlego. Ele toma e valoriza o outro assim como é, e se conforma também com o fim e a separação – com respeito e amor.

Aprendemos com a nossa dor?